Greve dos Correios acaba com pior acordo em décadas e traição máxima dos sindicatos!

Um dia para ficar marcado na vida de nós, trabalhadores dos Correios. Nossos direitos conquistados a duras penas e em lutas ao longo de 35 anos foram criminosamente retirados pelo governo Bolsonaro, seu general presidente dos Correios e dos bandidos do STF e TST.

Nacional | Sindical - 23 de setembro de 2020

Um dia para ficar marcado na vida de nós, trabalhadores dos Correios. Nossos direitos conquistados a duras penas e em lutas ao longo de 35 anos foram criminosamente retirados pelo governo Bolsonaro, seu general presidente dos Correios e dos bandidos do STF e TST.

Ao contrário do que pensam algumas pessoas, nós não somos privilegiados. Ganhamos pouco e trabalhamos exaustivamente levando a ECT nas costas. Não somos vagabundos! Vagabundos são estes que dizem que somos os privilegiados, sendo que eles é que ganham altos salários sentados em suas poltronas confortáveis, destruindo a vida de mães e pais de família. Não é de hoje que isso vem acontecendo… Os governos anteriores (do PSDB, PT e PMDB) também são responsáveis por esta situação a que chegamos, pois foram sucateando os Correios, roubando e implantando terceirização e ataques sistemáticos.

As duas federações, Findect e Fentect, que dizem representar a categoria, diante de um duro ataque, meteram o rabo entre as pernas e aceitaram esse crime, justificando que não podem pagar 100 mil de multa pra lutar porque seria muito caro. Venderam milhares de trabalhadores e suas famílias para economizar dinheiro para a mordomia da burocracia sindical! Há tempos viemos falando que o caminho é atropelar a “justiça” dos patrões, mas quando isso foi necessário, as entidades sindicais se acovardaram!

São cúmplices do Bolsonaro todas as correntes e partidos que aceitaram se render ao maior ataque que sofremos em toda a História! PT, PC do B, LPS, PCO, PSTU e correntes do PSOL estiveram juntos em levar a greve a este impasse e depois em desmontar a luta.

São estes os mesmos que, nesse momento, estão empenhados em suas campanhas eleitorais, almejando cargos dentro do sistema que dizem combater.  VERGONHA! Lançaram nota dizendo que a greve seguiria, mas nas assembleias defenderam seu encerramento, sem ao menos 1 dia a mais para demonstrar nosso rechaço ao que foi decidido pelo TST.

As centrais sindicais nos abandonaram muito antes, quando se negaram a puxar uma greve geral que poderia derrotar Bolsonaro e os seus ataques contra toda classe trabalhadora deste país. Agora, cá estamos e, embora tenhamos sofrido a maior derrota de nossa história, imposta pelo governo e pelo TST, além da ajuda da covardia das duas federações, não estamos mortos! Porém, a partir de agora, teremos que escolher: ou radicalizamos a luta, passamos por cima das direções traidores e reconstruímos nossa luta pela base, ou estamos fadados à aniquilação.

A saída possível aos trabalhadores passa pelos próprios trabalhadores e por construirmos uma nova direção das lutas.

Militantes do MRS em Correios.